Coronadays 28.05.2020

Edvard Munch – Death Struggle | Luta contra a Morte

🇧🇷 Conecto. Hoje vou ser breve. Breve pois estou cansado. Não consigo fazer algo até o fim. Está complicado dar rumo à rotina. Achava que era por falta de atenção, mas num artigo sobre terapia na pandemia, descobri que estou cansado é de tanta atenção. Nosso cérebro está funcionando em modo alerta há meses. Prestamos atenção extra na nossa saúde, na ambulância que passa, nos números, nas curvas, no botão do elevador, na maçaneta. Prestamos atenção para saber se vamos sobreviver. Chegamos no pico? Quantas UTIs disponíveis? E a crise financeira? A violência vai aumentar? Vai faltar comida? E a segunda onda? Viver nessa função é altamente cansativo, exaure nossa força vital.

Gasto atenção também desviando das notícias políticas. Atenção quando me conecto com amigos, trabalho e o mundo. Atenção para não desviar aos feeds do Twitter, do Facebook ou das notícias da Folha, El País, Veja, G1, CartaCapital, CNN, New York Times, Financial Times, The Economist. A lista é sem fim. Todos competindo pela minha total atenção. Todos com o mesmo tom sombrio, cada dia mais. Evito ver a cara ou ler o nome do gerente mór do pandemônio em que nosso país se transformou. Me dá raiva. Tenho raiva das pessoas na rua sem máscara. Tenho raiva de ver a bandeira nacional estendida em uma janela. E como contou o artista e escritor Nuno Ramos em um ensaio na Ilustríssima,”estou exausto de raiva”. Desconecto.

🇬🇧 Log in. Today I will be brief. Brief because I am tired. I haven’t accomplished even simple tasks. It has been complicated to give routine directions. I thought it was a lack of attention, but in an article about therapy during the pandemic, I found out I am tired because of too much attention. Our brain is working in overdrive for months. We pay attention to our health, the ambulance that goes by, the numbers, the curves, the buttons on the elevator, the door handles. We pay attention trying to figure out whether we will survive. Have we reached the peak? How many available UCI’s? And the financial crisis? Will levels of violence increase? Will there be food? A second wave? Living in this mode is extremely tiring, it drains our vital force.

I also focus my attention on ducking political news. I need attention when I get online and connect with friends, work, the world, so that my attention does not get lost in endless feeds, from Twitter, Facebook, Folha de São Paulo, El País, New York Time, Globo News, Financial Times, The Economist. The list is endless. All vying for my undivided attention. All with the same somber tones, more somber by the day. I dedicate my utmost attention to deviating mentions to the eschatological manager of the mess my country is engulfed in. I get angry. I get angry with people without a face mask. I get angry when I see the national flag hanging from a balcony. The artist and writer Nuno Ramos said so brilliantly in an article at Ilustríssima “I am exhausted from being angry”. Log out.

Click for more Travel Stories and Coronadays

Related Posts