Japão 101 – Preparando a viagem, por Julia Bufrem

Julia e as luzes de Tóquio

Uma das coisas mais legais e inesperadas que a viagem ao Japão me mostrou foi a pureza da surpresa das pessoas quando eu respondia o meu destino de férias: “Uaaaaaau! Japão?! Que legal!”. Foi bem divertido ver o quanto todas as pessoas, sem exceção, tinham uma reação superparecida com essa. Mas o mais lindo e surpreendente aconteceu quando eu cheguei lá e vi a reação das pessoas quando eu contava que era do Brasil: “Burajiru? Ooooooohhh! So far! Beautiful! Ooooh!” Eu sei que parece algo bobo, mas pra quem chorou de emoção no meio do Robot Restaurant, isso pra mim foi sentir a pura conexão de quem ficou com quem tava lá.

Mas falando sobre planejamento, realizar sonho é um negócio complicado. Você espera, espera, planeja, e, quando chega a hora, você ainda tem a pachorra de achar que não está suficientemente preparado. Eu esperei 20 anos para ir ao Japão, então eu juntei bastante coisa legal que pode te ajudar a atravessar o mundo (literalmente) com tranquilidade:

BEFORE YOU GO

O QUE LER?
A resposta é “tudo”. Revistas, panfletos, sites, reportagens… Tudo é informação. Por recomendação do Vicente, recomendo também o guia de viagens da revista Monocle – Tokyo Edition.

O QUE ASSISTIR?
No Netflix tem um programa escondidinho que se chama Japanese Style Originator. É uma produção japonesa que mostra a cultura, hábitos e dicas sobre o país. Além de ser muito fofo, foi bem útil. Vídeos de reportagens no YouTube também ajudaram a decidir o roteiro e passeios.

O QUE OUVIR?
Tokyo Drift – Teriyaki Boyz
FLY – Taichi Mukai
Love Letter to Japan – the bird and the bee
Harajuku Girls – Gwen Stefani
Alone in Kyoto – Air
Pizzicato Five – À Tokyo

DE QUE DOCUMENTOS VOCÊ VAI PRECISAR?
Para brasileiros entrarem no Japão, é preciso ter visto no passaporte. Eu tenho passaporte italiano e acabei não precisando mas, se você precisar, programe-se e agende sua visita no consulado do Japão. O processo costuma ser rápido, mas é bom não arriscar.

DINHEIRO
Eu comprei ienes antes de ir e levei alguns dólares para trocar por lá. Vale reservar com antecedência os ienes com uma casa de câmbio pois não é assim tão disponível quanto comprar dólares, euros ou libras.

O QUE LEVAR NA MALA?
Um dos meus objetivos na vida é diminuir o tamanho da mala a cada viagem. Sendo assim, eu levei uma mala bem basicona pro Japão e poucos sapatos confortáveis. Anda-se MUITO no Japão! Além disso, em lugares mais tradicionais, como templos, tira-se e põe-se os sapatos muitas vezes. Pense nisso quando for arrumar a mala. Meias de compressão também são ultranecessárias e vão te deixar muito mais confortável nos voos muito longos.

ONCE YOU’RE THERE

COMO SE LOCOMOVER NO JAPÃO?
Trens, táxi, ônibus e a pé. O Google Maps e uma boa conexão wi-fi (stay tuned: more on that later) são TUDO de que você vai precisar! Eu atravessei a cidade (inclusive, dos nove dias em Tóquio, fiquei quatro sozinha), fui sem medo pra todos os lugares que queria e não errei uma estação sequer. Além disso, no Google Maps, você pode salvar com um pin todos os lugares que quer visitar. Fica bem fácil planejar, visualizar tudo no mapa e decidir os roteiros diários.

Sobre os trens, a malha ferroviária do Japão tem trens “normais” e JR (Japan Railways). Com um cartão Pasmo ou Suica você pode andar em qualquer um deles e também de ônibus. Na prática os trens não têm muita diferença mas, se você for viajar para mais cidades no Japão, você vai precisar andar de Shinkansen, o trem-bala, que é um trem JR. Aí, dependendo da sua programação, quantidade de dias em cada cidade e tudo o mais, pode ser que você precise comprar o JR Pass separadamente. Você encontra uma lojinha da Japan Railways no aeroporto de Narita e lá você pode pedir mais informações. É bom saber que esse passe é bem caro, mas pode ser um bom custo-benefício dependendo do seu roteiro. Ah, e precisa ser comprado antes de embarcar para lá.

Outra coisa é que, misteriosamente, Uber custa mais caro que táxi no Japão. Como eu sou muito low-b, evitei ao máximo pegar táxi porque, ainda assim, é meio caro. Mas vale a pena, pelo menos, pela experiência. Ah! não precisa encostar na porta, ela abre e fecha sozinha.

COMO SE COMUNICAR NO JAPÃO?
Vários AirBnbs disponibilizam roteador portátil pra colocar na bolsa e levar pra onde quiser. Mas se esse não for o seu caso, é bem fácil comprar um chip local por, aproximadamente, 50 dólares. Você pode fazer isso no aeroporto.

O que é muito impressionante é a segurança e a organização de tudo, então vá sem medo de nada, pois o mais grave que pode acontecer em uma viagem ao Japão é você se perder por alguns minutos até alguém te levar de mão dada ao seu destino (ou pelo menos até bem perto dele).

Jumping Julia

Related Posts

Japão em 25 imagens, por Julia Bufrem

Meus dias em Tóquio, por Julia Bufrem