Coronadays 22.03.2020

not going crazy yet

For English, just scroll down a tiny bit.

🇧🇷 Pouco a pouco a rotina de ficar em casa vai tomando forma. Hoje criei uma pequena lista de regras para não sucumbir às notícias ruins ou ao feed do Instagram. E não abrir a segunda garrafa de vinho no fim de semana. Meu temor é terminar essa quarentena gordo, alcoólatra e viciado em vídeos eróticos do YouTube. Também listei tudo o que quero fazer e melhorar nesses dias (alemão, cursos online, escrita, ioga, meditação etc) e amanhã vou montar uma grade horária, afinal, hoje é domingo, dia de descanso. Pelo jeito terei dias bem ocupados daqui para a frente, até porque a diarista, que vinha uma vez por semana, só volta quando isso passar.

Tive que sair de casa duas vezes. A primeira foi para ir ao supermercado, bem cedo. Cheguei assim que abriu, para não me misturar com muita gente. Só de ver todas as placas e anúncios alertando para as novas regras de distanciamento social me encheu os olhos de lágrimas. Ando meio emotivo, é claro. Depois fui até o parque, pois um amigo fez 50 anos. Nos sentamos a dois metros uns dos outros e ficamos pouco tempo, num canto vazio. Só conseguimos falar de vírus. Voltei por ruas desertas. Cada vez que entro em casa é um ritual de lavagem e limpeza que tem me dado preguiça de sair novamente. A pira de contaminação no mercado, no elevador ou na rua é pior do que as que eu tinha quando entrava nos quartos escuros de baladas.

Fiz umas cookies de aveia e do resto da polpa de maçãs de um suco natural. Ficaram horríveis, mas comi todas para não desperdiçar comida. Também assei grão de bico com especiarias, já que posso ter gases fora do convívio social. Alho e cebola, que na minha fantasia espantam o vírus, tenho comido direto, resultando em novos odores de cecê (mas para isso inventaram desodorante).

Vou descobrindo os vizinhos pouco a pouco. Agora sei que tem crianças no andar de baixo. Minha vizinha de porta anda fumando mais do que o normal. No prédio atrás do meu, o pessoal agora frequenta bastante a varanda. No prédio da frente, onde eu achava que todo mundo vivia em Mônaco, agora tem vida. Acho que vou comprar binóculos online para observar a vizinhança, no caso de cortarem a internet. Meu Kindle começou a ficar estranho e quase tive um surto.

Voltar para o Instagram foi bom para dar um oi geral e receber notícias de tanta gente de quem não recebia likes e corações há tempos. Só que ver um monte de homem sarado dando dicas de exercícios me deixou deprê. Preciso unfollow essa gente malhada. Também me peguei zumbizando uns 10 minutos na timeline. Acho uma perda de tempo, mas é viciante. Socorro. Por isso as regras que te falei lá no primeiro parágrafo. Se o Google e o Facebook já sabiam muita coisa da gente antes da quarentena, quando isso acabar eles vão dominar cada passo que a gente der.

Bem, não quero deixar este diário muito longo senão você vai ficar com preguiça de ler com frequência. Meus pais estão na fazenda, junto com meu irmão, cunhada e sobrinhas. Eu permaneço na cidade, plugado na fibra óptica, conversando com amigos ao redor do mundo e escutando rádio de vários países para melhorar os idiomas e ver como cada um está lidando com a atual situação. Por hoje é isso. Se cuide aí também. Mando uma foto do pôr do sol, uma de nossas únicas certezas hoje em dia.

Sunset 22.03.2020

🇬🇧 Little by little the quarantine routine settles in. Today I made a list of rules to follow not to succumb to bad news nor to the Instagram feed. And not to open that second bottle of wine over the weekend. My fear is to get over the quarantine as a fat, alcoholic and internet-addicted man. I also made another list of things I want to do and improve in the weeks ahead such as my German, writing, yoga and meditation. Tomorrow I will organize my schedule as today is Sunday and Sundays are rest days. From what I notice, I will have busy days ahead, also because the cleaning lady, who came once a week, is only coming back after this is all over.

I had to leave home twice today. Early in the morning, I went to get groceries. I tried to be the first one in the supermarket, not to have to mingle with too many humans. Just listening to the social distancing announcements made me want to cry. I have been very emotional lately. Later I went to the park. A friend turned 50 today. We all set at least two meters apart, in a quiet corner. All we could talk about was virus related. I walked back through empty streets. Once I get back home, the cleanup procedures are so tiring (20 seconds here, 20 seconds there, wiping the cell phone…) that I don’t feel like leaving home ever again. The fear of contagion in the market, in the elevator or on the streets is worse than the one I felt before entering dark rooms in dodgy nightclubs.

I prepared cookies with oats and some apple slush that was left from a fresh juice. They looked horrible and did not taste too good but I ate them all not to waste food. I also baked chickpeas with spices now that I can fart all day long alone at home. I’ve also resorted to eating large amounts of garlic and onions, as in my fantasy they can kill viruses. Therefore I have started developing strange body odors. Thank god for deodorant (and showering twice a day).

One new feature in this new life is “neighbors’ observation”. I found out there are kids downstairs. My next-door neighbor is over smoking. The people living on the building behind mine are using their balcony much more often and those living in the building in front of mine, whom I thought all lived in Monaco, are all in. I may buy binoculars to observe them closer in case the internet goes off. My Kindle started going funny and I almost freaked out.

Going back to Instagram was nice to see people I had not seen in ages and to get likes and hearts. But all those toned gorgeous men showing how to exercise at home drove me crazy. I need to unfollow them. And scrolling like a zombie for more than 10 minutes also made me depressed. I think it is a waste of time but it is so addictive. Help me! This is why I need those rules mentioned in the first paragraph. By the way, if Google and Facebook already knew a lot about us before the quarantine, they will dominate us thereafter.

Well, I don’t want to extend myself otherwise you will not read me next time. My parents are on the farm together with my brother’s family. I stayed in the city, plugged on fiber optics, chatting with friends over the world and listening to different radio stations to check how each country is dealing with the situation. That is all for today. Take good care of yourself. To finish off I send you a picture of today’s sunset, one of our only certainties nowadays.

20.03.2020

Related Posts